AUSTRÁLIA II – A VIAJEM DE ADELAIDE A MELBOURNE

De Adelaide a Victor Harbor

Steven me acordou as 5:00hs, estava na hora de partir… conversamos um pouco e ele saiu para trabalhar. Arrumei os últimos detalhes, passei mais algumas mensagens e sai por volta das 7:00hs em direção a Victor Harbor.

Praia de Glenelg

Kingnston Park SA

A pedalada foi porrada. Peguei uma serra encrenca, mas parecia que a bike andava para traz.

Willunga SA

Cheguei na cidade por volta das 16:00hs e fui me encontrar com Cris. Tínhamos negociado uma barraca pelo Grumtree. Estava em perfeito estado e ainda pelo mesmo valor, ele me deu uma lona.

Depois fui para a casa de Josh. Um amigo que me deu hospedagem pelo couchsurfing. Uma pessoa fantástica! Trocamos muitas informações entre inglês e português, tudo muito divertido.
Ele me mostrou sua homegreen, onde ele cultiva alguns temperos. Ele é chefe de cozinha e preparou uma janta maravilhosa!!!

Depois chegou sua namorada Âmbar, menina muito simpática.
Eu e Josh ficamos ali planejando algumas coisas até mais tarde e depois fomos descansar!

De Victor Harbor a Milang – 43km

Eu e Josh preparamos um café e saímos para um mercado. Ele me ajudou a tentar conseguir um extensor elástico para prender a bolsa, para ter mais segurança. Depois nos despedimos e sai em direção a Milang… pois já era 12:00hs. Obrigado meu amigo por tudo, foi muito divertido nosso aprendizado. Valeu a hospedagem e o presente. A Janta estava espetacular!!! forte abraço!!!

Passei mais uma vez no mirante, pois ali a vista realmente é muito linda!

Após algumas horas no pedal parei para almoçar. A dia estava com sol maravilhoso e fez com que a cor da água estivesse num azul sem igual.

Praia de Victor Harbor

Currency Creek Austrália Meridional

Cheguei em Milang por volta das 17:00hs e fui direto para o Milang Lakeside Caravan Park, que fica na beira da lagoa. O Josh me deu de presente uma pernoite ali. A recepcionista me levou até o local onde poderia montar a barraca e me forneceu um cabo de energia para ligar meus equipamentos.

Deixei tudo arrumadinho e sai para comprar mantimentos. A noite preparei um rango e fui descansar. A noite fez muito frio, verifiquei a temperatura que deu 8 graus, friaca!!!

De Milang a Wellington – 35km

Acordei as 5:20hs, porem até ajustar tudo já era 7:40hs. Neste momento começou a chover e acabei saindo mesmo por volta 10:00hs. Pegue um trecho em entrada de chão e se não tivesse Google Maps, estava perdido, pois encontrei algumas quebradas sem indicação. Neste trecho tomei a primeira queda, quando olhei para trás para ver a distancia do caminhão que vinha vindo em minha direção,
um pequeno desvio sobre a estrada de areia e pedra, foi o suficiente para a roda dianteira perder o controle. Desequilibrei com o peso da bike e sai rolando pela estrada a fora.
Mas tudo bem, ninguém se quebrou, nem eu nem a bike. Na maior parte do tempo, peguei o vento a favor, ai foi uma beleza. Cheguei em Wellington por volta das 12:20hs, e fui almoçar em um hotel, pois nada tinha por ali perto.

 Tive muita dificuldade o que pedir para almoçar, além de caro, não entendia nada dos pratos que a casa oferecia. Paguei 17 dólares por um bife com molho, batatas fritas e salada. Carreguei por um tempo o celular, descansei um pouco e resolvi seguir viagem.

Peguei a balsa para fazer a travessia do Rio Murray, já era por volta das 13:50hs. Esta travessia leva 5 minutos e não tem custo algum.

Revisando o trecho no mapa, já vi que iria pagar meus pecados, pois iria pegar agora o vento de frente e não deu outra. Fui com um vento contra nordeste gelado no rosto, do começo ao final. Foi terrível!!! muito cansativo.

Lagoa em Ashville SA

Típica casa Australiana

 No meio deste trecho parou um carro do meu lado. Era uma mulher e seu nome era Morgat. Me perguntou porque não estava andando pela lado correto da pista, ou seja, do lado esquerdo. Expliquei a ela que o vento estava nordeste e toda vez que um veículo passava por mim, me jogava para trás, principalmente quando passavam os caminhões muito perto, me pegando de surpresa muitas vezes. Isso era terrível. Margot até ofereceu uma carona, para Meningie,
mas como o carro era pequeno, nem cheguei a tentar, disse que iria continuar na sofrência mesmo…kkk. Ela me passou o seu contato e pediu para ligar caso necessário.

Cheguei na cidade por volta das 17:30hs e parei em um mercado. Pedir ajuda a atendente Mellisa para me ajudar a falar com Margot, porém a mesma apenas indicou um hotel da cidade. Aproveitei para fazer umas compras e quando estava saindo a Mellisa se propôs a conseguir algum lugar para eu ficar. Pediu para eu aguardar um pouco ali em frente a praça, pois já estava na hora de fechar o mercado.
Preparei um café, foi quando ela chegou com mais 03 amigas e ficamos ali conversando sobre minha viajem. Elas fizeram uma “vaquinha” e me deram uma grana, eu não quis aceitar, mas elas insistiram, acabei aceitando. Elas também me convidaram para jantar em uma lanchonete.

Alex, Katrina, georgia, Melissa, lachlan, Natalie & jai

Depois as meninas me levaram para um campo de futebol australiano, disseram que ali era seguro
e que poderia passar a noite ali tranquilo. As meninas foram muito simpáticas e deram altas força! Se despedimos, escrevi um pouco e fui descansar.

De Meningie a Set Crekk – 60 km

Acordei por volta das 5:00hs com o canto fortíssimo dos pássaros que estavam acordando. Preparei as coisas e sai. Parei em um posto de gasolina que tinha sinal de internet free e fiquei ali por uma hora resolvendo algumas coisas. Depois ainda passei em uma loja para colocar crédito do telefone, pois surpreendentemente meus crédito na noite passada foram exterminadas. Não entendo como isso aconteceu. O melhor opção foi colocar AU$ 40,00 por 5gb para usar em 30 dias. Para mim caríssimo, mas não tenho muita opção, não tenho como ficar sem internet, devido a utilização dos mapas e traduções. Na saída da loja ainda encontrei novamente as meninas da noite passada. Trocamos meias palavras e segui viajem. Logo no início da viajem já na rodovia, um caminhão triplex.. (me lembrei da situação do Lula agora…kkk) passou muito próximo de mim, chegou e me desequilibrar com o vento, fiquei muito ajustado…foi foda! Resolvi pedalar do outro lado da rodovia, sentido contrário dos carros. Ao menos fico ligado nos veículos, sem surpresas! Porém a cada 20 que passa, 01 motorista briga comigo! fazer o que?

Park – Coorong SA

Praia – Coorong SA

Por volta das 11:30hs, já tinha pedalado por 43km com vento soprando a favor, show! Ali avistei uma casinha na beira da lagoa. Ninguem em casa! Ali parei e preparei o almoço. Fiz fogo e fiquei todo enfumaçado, pois a madeira que consegui estava úmida da chuva da noite passada. Preparei macarrão, ovos, brócolis e comi com o resto do frango da janta de ontem. Descansei um pouco e segui por volta das 15:30hs.

Depois segui para para a casa de Adam. Um Couchsurfing que já estava me esperando para uma hospedagem. Pedalei por mais 15 km até chegar a sua casa.

Durante a viajem de poucos km que fiz, encontrei uns 06 cangurros mortos na beira da estrada. infelizmente isso deve acontecer muito por aqui.

Cuidado!!!

Emus

Poço Petróleo desativado.

Quarto de hospedagem do Adam

Adam me recebeu muito bem, foi um grande amigo! Tomamos uma cerveja e ele me contou sobre sua paixão sobre caça e pesca. ele tem matérias para vender em sua loja na beira da rodovia, o qual recebe muitas pessoas todos os dias.

Jantei carne de Dromedário com um bom vinha Australiano.

Obrigado Adam pela recepção e hospedagem em sua casa. Você e sua esposa foram muito simpáticos e atenciosos. Forte abraço!!!

De Salt Creek a West Range – 75km

Sai por volta das 7:00hs e o dia já amanheceu bem ventoso.

A pedala foi bem cansativa e estava já praticamente sem água e sem comida. Sorte que tinha ainda uma bebida isotônica que o Adam me deu. Ele também fez contato com Jimmy, um amigo que poderia me hospedar aproximadamente uns 10 quilômetros antes de chegar em Kingston. 

Taratap SA

A 500 metros do acesso para chegar na casa de Jimmy, furou pneu traseiro da bike. Tentei encher por 02 vezes para tentar chegar a casa, mas não funcionou. Tive mesmo que parar e trocar a câmara de ar. Já estava com muita fome. Sorte que ainda tinha um pouco do Maranhão do dia anterior uma uma bebida isôtonica que o Adam me deu no dia anterior. Valeu!!!

Quando finalizei tudo, passou um caminhão com um senhor e um jovem dirigindo e perguntaram para onde eu estava indo. Falei sobre Jimmy, então eles me deram uma carona até sua casa. Faltava apenas uns 700m… Kkkk. Jimmy me recebeu, e mandou longo eu me servir o almoço. Conversamos um pouco e ele teve que sair. Fique em casa com SungJae Joo, um coreano que também estava hospedado em sua casa.

Quando Jimmy voltou, nos convidou para dar uma volta no campo para tratar das orelhas e mostrou como fazia com seu trabalho.

Porco Espinho 

Depois retornamos para casa e nos convidou para ir para um Peb no centro de Kingston para tomamos na cerveja. Comemos, jogamos sinuca e depois voltamos para casa para descansar.

De West Range a Kingston – 13Km

Sai da casa de Jimmy por volta das 7:00hs, mas logo que peguei a rodovia começou a chover. Tive que me esconder embaixo de uma árvore. Esperei por 15 minutos e voltei a pedalar. Quando cheguei em Kingston começou novamente a chuva. Parei em frente ao Subwey e peguei sinal de internet. Fiquei por ali por algum tempo. Resolvi entrar na cidade para comprar mantimentos e fui na praça de Camping para tomar um café. Ali começou novamente a chuva novamente. Ficava entre sol e chuva. Percebi que não era dia de continuar a pedalada e aproveitei para descansar, escrever e estudar um pouco.

Se conta que pesquei esta lagosta, irão disser que é história de pescador…kkkk

Praia de Kingston

 

De Kingston a Robe – 43km

Fiquei hospedado na minha barraca embaixo de um quiosque na RV Park. Depois de tomar um bom cafezinho da manhã, sai de Kingston por volta das 7:00hs rumo a Robe.

Vinícula Murdup

Praia de Robe   

Sem chuva… sem flores!!!

Lá na pontinha… Farol Obelisk

Em Kingston, encontrei uma senhora chamada Pu’alani tomando café na lancheria da Subway. Ela venho perguntar sobre minha viajem, conversamos um pouco e ela foi embora. Por coincidência, quando sai das águas geladas de Robe, encontrei a Pu’alani que me convidou para se hospedar em sua casa. Fizemos um almoço, descansei e ela saiu. Mais tarde fui dar um rolê, passei em um hotel e fiquei ali escrevendo. Depois fui descansar.

De Robe a Beachport – 47km

Acordei por volta das 5am. Verifiquei no relógio da bike e estava 2 graus!!! Muito frio! Tomei um café me despedi da querida Pu’alani e peguei a estrada.

Praia de Beachport

Por do Sol

 Dei uma volta na noite, mas não tinha ninguém, os nativos vão dormir cedo. Então fiz uma janta e montei a barraca embaixo de um quiosque na beira da praia e fui descansa!!!

De Beachport a Port Macdonnell – 107K

Acordei por volta das 4:30hs, pois chegou um australiano e entrou no quiosque que estava dormindo na maior pilha para treinar.  Logo Chegou uma menina e depois uma mulher e eles iniciaram o treino.  Eu aproveitei desmontei a barraca, arrumei tudo tomei um café e segui o exemplo e fui treinar.  Passei no restaurante para pegar internet e passar algumas mensagens e sai por volta das 7:00hs.

Grupo de Senhoras entrando na água gelada para natação as 7:00hs

Parei em Millicent para comprar mantimentos e tomar um café

Caverna em Tantanoola – Incrível

Burrungul Austrália Meridional

 Segundo raio que quebrou! Será que chego?

Pensa numa Lagoa perfeita!!! 

Cheguei em Port Macdonnell por volta das 18:30hs

Por do Sol em PortMacdonnel

De Port Macdonnell  a Portland- 110Km

Acordei por volta das 5:30hs, tomei um café e fiz uma revisão nos materiais que estavam carregando.

Depois fiz uma corrida pela praia e um treino de capoeira. Depois fui em um café e pedir informação sobre alguma oficina de bike, pois precisava colocar dois raios novos. O Joel que estava ali, me disse que iria conseguir somente em Portland. Ela me pagou um café e registramos o momento. Valeu meu Brother!

 O vento estava bem forte neste dia! A princípio estava a favor, mas depois de uns 10 km, o vento começou a bater nordeste. Quando entrei na rodovia C192, percebi que o vento começou a bater de frente. Logo a diante, cruzei a fronteira dos estados.

Look – ASSOCIAÇÃO CULTURAL FORTALEZA DA ILHA!!!

Parei em Nelson para almoçar. Dali para frente seguindo pela rodovia senti que o dia não tava bom para pedalar, pois o vento estava batendo de frente e muito frio. A Rodovia C192 tem um trafego intenso de caminhões truque e além disso o acostamento é de 50 cm, quando tem ou quando não tem buraco. Realmente este trecho deixou de ser uma viajem tranquila e passou a ser um grande risco. Os caminhões passavam muito perto e com o vento acabavam me desequilibrando de tão forte era o impacto. Peguei chuva e vento gelado por horas! Quando anoiteceu, no relógio da bike marcava 8 graus, estava ainda a 20 km de Portland e comecei a sentir dor no joelho. O amigo Robert que iria me hospedar pelo Couchsurfing já estava me esperando, então tive que continuar até chegar. Faltava pouco, mas naquele momento foi uma eternidade! Chegando na casa de Robert ele já estava com a lareira acessa, pediu para eu sentar, me serviu uma janta e conversamos. Logo depois sua esposa Vivian chegou do trabalho. Ela me deu alguns comprimidos e uma bolsa de água quente para colocar no joelho. Em fim somos dormir e eu apaguei.

No dia seguinte Robert me levou para concertar o aro da bike e depois para fazer um tour na cidade. Ele me mostrou vários lugares maravilhosos, além de ser uma pessoa fantástica, cheio de histórias para contar, com muita disposição e incrivelmente extrovertida.

Point Danger

Olha quem encontramos, Coala

Caverna

Robert tem pássaros de estimação que ganham comida no bico. Estes pássaros chamados Magpie Australiano, atacam os ciclistas na época de reprodução. Eu mesmo fui atacado algumas vezes!

Robert e Vivian são pessoas maravilhosas e receberam muito bem em sua casa.Fiquei muito feliz por ter passado estes dois dias hospedados com eles. Muito obrigado pelo carinho e espero logo encontra-los novamente. Forte abraço em seus corações!!!

Dia seguinte Robert me levou até a rodoviária. Como não recuperei da lesão do joelho, decidi ir de ônibus até Warrnambool e depois de Trem até Melbourne. Assim tenho tempo para poder me recuperar desta lesão. Obrigado meu amigo, forte abraço!!!!

Viajem de trem!!!

4 Comments on “AUSTRÁLIA II – A VIAJEM DE ADELAIDE A MELBOURNE

  1. Filho, Quantas belezas que você encontrou pela suas andanças,E que eu cinto alegria de saber que as pessoas são maravilhosas e e que você não esta sozinho .Deus te abençoe
    Um Beijão T Amo:

  2. Guerreiro, Força na pedaleira e que possa ter boas vibrações positivas em todos os lugares que você passar.
    Estamos acompanhando

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *