Macapá

Macapá

21 de Janeiro 2017

No barco, quase todos acordam muito cedo. Foi servido um café com pão e banana. Tomei um banho e fui dar uma curtida na paisagem em cima do barco. Aproveitei para ler um pouco, esperando o tempo passar. 

Quando percebi já era hora do almoço! Depois voltei na rede para descansar um pouco.  A tarde li mais um pouco do livro.  Quando próximo das 4:30 da tarde, começamos ter a vista da cidade de Macapá até chegar o porto de Santana.

Descendo da embarcação passei numa padaria para tomei um café e fiz contato com o Edimar, o qual estava me esperando. Sai sentido centro, quando passei em frente a uma praça e ouvi o toque do berimbau. Era uma roda de capoeira e já fui parando para conversar com professor. Conheci o Mascara e ele me falou sobre o trabalho dele e sobre os grupos de capoeira de Santana. Conheci Coringa, Nelson, Mesquita, Leandro, Bambam entre outros. A roda formou-se e eu joguei com a galera. Foi muito boa a Roda. Me despedi da galera e sai. Valeu Galera, obrigado pela recepção. Altas roda, axé!

 Para Macapá ainda faltava uns 35 km. No meio do caminho, ele me passou uma mensagem dizendo que me encontraria no posto de combustível. Enquanto fiquei lhe aguardando, ele chegou dois meninos querendo saber sobre minha viagem e contei a eles. Perguntaram do Berimbau e acabei ensinando um pouquinho de capoeira. Edimar chegou e me convidou para ir em sua casa. Depois me levou na casa de Dóris, o qual me recebeu com muito carinho. Conversamos e depois fomos dormir, pois já tínhamos marcado uma pedalada para o dia seguinte.

Edimar, Sid e Dóris 

22 de janeiro de 2017

Saímos logo cedo para fazer uma trilha de bike. Eu, Edimar Dóris e seu filho Gabriel passamos na oficina do Mauro para irmos juntos. Sua esposa foi de carro apoio com seus dois filhos. Nisso chegou mais algumas meninos para pedalar tb. Pedalamos em torno de 20 quilômetros até entrar numa estrada de chão com muito barro.

Porem a recompensa foi na chegada. Um sítio com um restaurante e uma lagoa maravilhosa. Tinha uma estrutura de madeira que entrava para dentro da Lagoa o qual poderia subir e fazer alguns pulos.

  

Se divertimos, nadamos e depois almoçamo fui descansar na rede que a Fran prestou. Tomamos mais uns banhos, mais uns pulos e voltamos para casa.

Pedalamos em um lugar bem tranquilo e muito bonito. Chegamos em casa cansados e eu ainda lavei a bicicleta para tirar o barro. Depois o Gabriel me levou comer um lanche, voltamos para casa e eu fui descansar.

23 de janeiro de 2017.

Eu e Edimar saímos para dar uma volta de bike. Passamos na casa de Dona Maria, que é a presidente da Associação da capoeira do Macapá e conheci também Mestre Grilo Macapá. Muito carismático e bem humorado, ficamos conversando e fizemos um som com berimbau e violão. Tocamos o clássico morte do capoeira,  LP de Suassuna e também uma música de Paulo César Pinheiro. Fiquei muito feliz em conhecer Mestre Grilo.

 Voltamos para casa de Dóris para almoçar, descansamos um pouco e depois saímos. Fomos pegar um treino de capoeira próximo a polícia militar. Chegamos no local e encontramos um aluno do professor Polar. Ficamos ali conversando e ele me falou um pouquinho da filosofia do trabalho deles, logo depois chegou o professor Polar. Conversamos e ele me convidou para treinar. Rolou o treino e depois teve uma roda. Joguei com a galera e no final tivemos um bate-papo. Me despedi de todos e voltamos para casa de Dóris para descansar. Valeu Polar, obrigado pela recepção, pelo treino e pela roda. Foi show de bola. Forte abraço a vc e a toda galera. Axé!!!

24 de janeiro de 2017

Eu, Edimar e Dóris saímos para dar uma pedalada e conhecer a cidade. Passamos pelo marco zero, pela orla, em frente ao Forte, no trapiche na área de pescadores, em frente à igreja mais antiga da cidade, em frente ao museu mas estava fechado.

Metade no Hemisfério Sul a outra no Hemisfério Norte

Voltamos para casa e compramos açaí e frango assado. Estava uma delícia. Descansamos um pouco à tarde e fiquei fazendo alguns contatos. Já estava noite quando escutei o som do Berimbau, pela janela da casa da Dóris. Descobri que rola um projeto de capoeira na escola alí bem próximo. Então fui até lá para conferir. Infelizmente cheguei um pouco atrasado e a aula já estava acabando. Conheci o professor que faz o trabalho e conversamos um pouco. Também conheci contramestre Melancia e ficamos um bom tempo conversando fora da escola. Voltei para casa e fui assistir filme. A Invasão americana! Documentário muito bom.

25 de janeiro de 2017.

Acordamos um pouquinho mais tarde. Eu e o Edimar saímos para o centro e aproveitei para comprar um tênis. Passamos na casa de Mestre Grilo e batemos um papo. Voltamos para casa da Dóris almoçar. Mais tarde saímos e fui pegar um treino de capoeira com Mestre Chicão.  Procuramos o espaço da capoeira até chegarmos na sua academia, no fundo de uma casa.  Quando chegamos o mestre ainda não tinha chego. Ficamos aguardando até que ele chegar. Conversamos muito antes da aula e depois ele pediu para eu puxar o treino para galera, então aceitei o desafio e fiz uma movimentação com os meninos. Depois no final fechamos com uma roda. Joguei com os meninos e também com o Mestre Chicão. Obrigado mestre Chicão, obrigado pela recepção e carinho. Foi um grande prazer em conhece-lo. Forte abraço e axé a toda galera!!!

 Eu e Edimar seguimos para casa do Thiago onde a galera estava fazendo um churrasco. Saímos da casa do Tiago de bike já perto da meia-noite. Passamos um bar tomar um suco se divertimos um pouco. Depois voltamos para casa de Dóris para dormir.

26 de janeiro de 2017

Saímos de bike, passei no mercado e comprei algumas frutas e outros para fazer almoço. A tarde choveu e ficamos vendo filme.  Mais tarde faltou luz e fui dar uma volta. Caminhei pela avenida Júlio e foi até o shopping. Voltei para casa bem cansado, pois a caminhada foi longa.

27 de janeiro de 2017

Tomei um bom cafezinho e um banho. Depois fui ajustar a bike que estava com folga na roda.  

Sai em direção à casa de Mestre Grilo, pois ele tinha me convidado para participar de uma roda no o que vc achou do projeto?. Depois a bike em uma oficina para ajustar a catraca que estava com problemas. Sai com mestre Grilo até o IPHAN e lá estava rolando um vídeo. Logo depois rolou a roda. Tinha uma galera de escola diferentes e a roda deu boa. Joguei com um alguns capoeiras, entre eles mestre Coringa, Mestre grilo e Mestre Chicão. Axé a toda galera de Macapá!!!

No caminho de volta parei para almoçar. No almoço rolou 500 ml de açaí, muito bom. Chegando na casa da Dóris, descansei um pouco, arrumei minha bagagem e me despedir de todos. Dorís minha querida, muito obrigado por me receber, foi tudo muito bom. Forte abraço a vc e ao seu filho Gabriel, Edimar, vc foi um grande parceiro, grande irmão! Grande axé no coração de vcs!!!

 

Seguir viagem para santana. Professor Máscara informou que teria uma roda de capoeira no colégio Vitória Régia, próximo mercado Santa Lúcia e fui. Lá encontrei o professor Bambam e seus alunos. Conversamos até chegar professor Máscara. Logo iniciamos a roda. Joguei com a turma e tambem com os professores. Obrigado Babam, boa roda e foi bom lhe conhecer, grande axé a vc e toda galera!

Professor Máscara me convidou para dormir em sua casa. Lá me apresentou sua esposa e seus filhos. Conversamos, jantamos e fomos descansar.

28 de janeiro de 2017

Acordei e o Arthur, filho do Professor, abriu a porta do quarto. Ele queria certificar-se que eu ainda estava por ali..kkkkk querido!  Ele gostou muito de mim. Chegou o Mascara e me levou para tomar café. Conversamos um pouco ele mostrou sua academia. Batemos algumas fotos me despedi da família. Mascará meu querido, muito obrigado pelo carinho e recepção em sua casa. linda família! Forte abraço a todos vc. Axé!!!

Fui para o centre o, passei em uma livraria e depois fui almoçar. Mas tarde fui visitar Mestre Tonico. Ele me convidou para passar em sua casa. Chegando me apresentou sua família e conversamos muito e ele me falou muitas coisas que me deixaram refletindo. O papo estava bom , mas tive que sair rápido, pois ainda iria pegar o barco. Mestre Tonico, obrigado pelas palavras. Foi um grande prazer conversar com vc. Grande axé a vc e sua família!!!

Estava indo pela avenida, já em Santana e passei pela galera da capoeira. Estavam começando a roda, mas já estava com o horário apertado, dei um alô e segui.  Chegando no porto, comprei a passagem por R$ 140,00, incluindo o almoço e café . Entrei no barco e logo procure um lugar para colocar a rede. Sai novamente do barco, comprei rango, voltei e o barco partiu.  Foram dois dias e meio de viajem…. 

29 de Janeiro 2017

Acordei por volta das 06:00hs. A água das torneiras e do Chuveiro é de cor escura, provavelmente água do rio. Peguei para ler um pouco mais o livro entre o rio e a rua de Roseli Souza. Em alguns momentos, na passagem pelo Rio Amazonas, crianças avistam o nosso barco e saiam com pequenas canoas dá beira do rio em nosso encontro e com um grito característico, que mais parece um som de um pássaro. Pedem ansiosos para receberem algo da embarcação. Geralmente os passageiros do barco, lançam sacolas com roupas ou comida. Juro que por algum momento, cheguei a me emocionar, mas me amparo pelo costumes rotineiros destes ribeirinhos.

Quase 11:00hs e paramos na cidade de Almeirim para saída e entrada de passageiros e mercadorias.

O barco ficou embarcado por uns 30 minutos e depois seguimos viajem. A noite jantamos e fui descansar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *